::.. HISTÓRIA ..::
G.R.C.E.S. X-9
Fundação: 01/05/1944 - Cores: Verde, Vermelho e Branco
Títulos: 194719491950195219531955195619641973197519761977197819791981198319901995199619982008201120122015
Av. Siqueira Campos, 115 - Macuco - (13) 2138-3431

Untitled Document
Para falar da Escola de Samba X-9 devemos lançar um olhar retrospectivo. Voltar ao passado, quando o samba era marginalizado e considerado uma coisa de negros e desordeiros. Além disso, muita gente pergunta até hoje por que a escola adotou tal denominação que chega a ser uma incógnita.

Num determinado tempo, a Rede Globo de televisão transmitiu uma novela, na qual, X-9 “era sinônimo de Cagueta”. E através de outras novelas banais a expressão pegou e muitas pessoas passaram a divulgar que um sujeito delator é um “X-9”. E há quem acredite nisso. Em razão disso, alguns componentes da escola foram alvo de chacotas e até hostilizados.

Como todos sabem alcagüete ou alcagueta é aquele cara que entrega os outros, um denunciante, bem como um preso que fica de olho nos outros prisioneiros. Junte-se a tudo o fato de que, alcagueta é aquele que observa para entregar.

Não foi por acaso que, diante desta insinuação maldosa, surgiu uma pergunta: O que a Escola de Samba X-9 tem há ver com tudo isso? Muitos não sabem explicar e já era tempo de desvendar o enigma.

A verdade é que na década de 40 do século passado, existia uma revista do gênero policial denominada x-9 que devido à violência dos seus episódios era considerada o “Império do Crime”. Seu principal personagem era o AGENTE SECRETO X-9 (Secret Agent X-9), um defensor da lei, ao lado de outros famosos detetives das histórias em quadrinhos da época: Dick Tracy e Nick Holmes.

A primeira publicação das “Aventuras do Agente Secreto X-9” ocorreu em 1934, nos Estados Unidos, onde o “temerário defensor da lei” caçava os mais agressivos gangsters. Phil Corrigan, como era chamado, gozou de grande popularidade no Brasil nas décadas de 40 e 50.

O Agente Secreto X-9 também foi focalizado num seriado cinematográfico em 1937, e, em filme de 1945, ainda em tempo de guerra, quando foi transformado no 007 daquela época. Seu criador foi famoso desenhista americano Alex Raymond, também criador do Flash Gordon.

Como se vê, tudo não passa de balela, pois em toda a sua trajetória, o Agente Secreto X-9 foi destacado detetive que combatia o crime e não um dedo-duro, conforme passou a ser divulgado pelo Brasil afora, através das novelas de televisão.

Ainda no contexto dessa convicção, é válido registrar que, nas décadas de 40 e 50, existiu um famigerado bandido no Rio de Janeiro conhecido pela alcunha de “X-9”. E, se alguma pessoa chegasse na época num reduto da pesada no antigo Distrito Federal e pronunciasse tal nome, era bem recebida.

Funcionava COMO UMA SENHA, COMO UM “SALVO CONDUTO” OU MESMO COMO UM SINAL CABALÍSTICO. Diante disso, tudo leva a crer que o X e o 9 exercia uma certa fascinação no mundo do samba e no submundo das favelas.

O autor dessas linhas teve provas disso quando de andanças – como sambista – pelos morros (favelas, Mangueira, Salgueiro, Tuiuti, Serrinha e outros) e subúrbios cariocas (Olaria, Ramos, Penha, Vaz Lobo, Irajá, Madureira, Oswaldo Cruz, Parada de Lucas e outros) nas décadas de 50 e 60.

Agora com referência à relação entre a antiga revista X-9 e a Escola de Samba com a mesma denominação, isso é outra história envolvendo velhos batuqueiros do Macuco.

Foi então que o Mestre Manezinho (que além de diretor geral comandava a bateria) foi procurar o delegado de polícia na “cadeia velha” para obter a devida autorização.

Quando a autoridade perguntou o nome da agremiação e ele respondeu X-9, o delegado retrucou de imediato: “X-9 é o império do crime.

Só tem bandidos!”. Depois de muito argumento ele consentiu na saída da escola, advertindo: “Se vocês não andarem direito, eu mando prender todo mundo!”

indignado com o inesperado acontecimento, o batuqueiro negro e pobre e que dava um duro danado no cais do porto, manifestou seu protesto através de um samba que dizia assim...

E a escola desfilou mesmo no carnaval de 1945, com os batuqueiros caracterizados de malandros: Chapéu de palhjinha, camisa listrada, calça branca e tênis, quando foram andando até a cidade onde visitou o jornal A Tribuna e de lá, foram a pé até o Gonzaga.

Voltou a sair às ruas em 1946, sem participar de nenhum concurso, pois, naquela época, ainda não havia disputa para a categoria das escolas. Os blocos, choros e ranchos é que predominavam no carnaval.

Depois do carnaval daquele ano a escola foi adotada pelo benquisto casal Cabo Roque e Tia Inês, que moravam na Rua Almirante Tamandaré, nº 94, de onde saiu no carnaval de 1947, ainda sob a batuta do Mestre Manezinho, para conquistar a sua primeira vitória.

De fato, no carnaval de 1947 foi realizada a primeira disputa entre as escolas de samba, sagrando-se campeã a X-9, que também foi a primeira agremiação do interior do estado a disputar e a vencer concursos carnavalescos em São Paulo, a partir de 1948, por iniciativa do Mestre Leitão.

Nesse período, a escola ensaiava no salão do Brasipés (na Linha Forte Augusto), onde mantinha uma gafieira que funcionou até o início dos anos 60 do século passado.

Mas, o Quartel General da escola era na casa da saudosa Tia Inês, que tinha um “terreiro” onde foram realizadas memoráveis rodas de samba e onde o seu pavilhão verde e branco foi batizado pela Estação Primeira de Mangueira.

Era lá, no seu Q.G. que se reunia o Estado-Maior do Samba e o Dia do Samba foi comemorado pela primeira vez na Baixada, em 1963, inclusive, abrigou a imagem do Santo Guerreiro (São Jorge), que, com todo o seu misticismo, passou a ser padroeiro da escola, isso, por sugestão do Cabo Batucada.

Assim e que a escola permaneceu naquele reduto tradicional até os fins de 1972, transferindo a sua sede no início de 1973 para a Avenida Siqueira Campos, nº 97/101, onde teve um vertiginoso crescimento e onde está até hoje, com toda a magia e encanto, mantendo as raízes negras e as tradições do passado.

Além de vencer em São Paulo em 1948, 1949 (Taça Diários Associados), 1950, 1954 (Taça Rádio Record), 1959 (Carnaval no Brás), 1964 (Concurso de Âmbito Estadual da Lapa) e 1969 (Campeã do Interior no Anhangabaú), a X-9 teve a primazia de desfilar no Grande Carnaval em Maio no Meyer, 1968, graças ao trabalho do Cabo Batucada e do apoio do legendário Natal da Portela.

Dessa forma, desfilou ao lado das grandes escolas de samba do Rio de Janeiro, na época, com a Estação Primeira de Mangueira(sua madrinha), Portela, Império Serrano, Acadêmicos do Salgueiro, Unidos de Vila Isabel, Imperatriz Leopoldinense, Mocidade Independente de Padre Miguel, Em cima da Hora e outras.

 

G.R.C.E.S. X-9
::.. INSTITUCIONAL ......................................................
Fundação:  01/05/1944
Escola Madrinha:  Estação 1ª de Mangueira
Cores:  Verde, Vermelho e Branco
Mascote:  Coroa
Endereço:  Av. Siqueira Campos, 115 - Macuco
Telefone:  (13) 2138-3431
Internet:  http://www.x9pioneira.com.br
::.. EQUIPE ...................................................................
Presidente:  no consta
Diretor de Bateria:  no consta
Diretor de Harmonia:  no consta
Intérprete:  no consta
Rainha de Bateria:  no consta
Mestre-Sala:  no consta
Porta-bandeira:  no consta

DADOS ::..:: CARNAVAIS ::..:: TRAJETÓRIA ::..:: HINO ::..:: CURIOSIDADES
Não há próximos eventos.
» [6/6] - GERAL: Eliminatórias 2017 é na SASP
» [11/3] - MOCIDADE AMAZONENSE: Mocidade Amazonense apresenta novo carnavalesco
» [25/6] - IMPÉRIO DA VILA: Confira com foi a festa de aniversário de 4 anos
» [21/6] - MOCIDADE DEPENDENTE DO SAMBA: Mocidade Dependente completa 5 anos e define rainha de bateria.
» [21/6] - SANGUE JOVEM: Sangue Jovem publica nota sobre inquérito.
» [19/6] - PADRE PAULO: Padre Paulo promove curso de harmonia.
» [16/6] - PADRE PAULO: Definido o enredo para 2014
» [8/6] - SANGUE JOVEM: Inquérito do acidente já tem indiciados.
» [30/4] - SANGUE JOVEM: Escola questiona laudo sobre acidente
» [27/4] - X-9: Escola fez feijoada de São Jorge
» [25/4] - SANGUE JOVEM: Laudo sobre acidente é apresentado
» [18/4] - GERAL: Vereador propõe uma comissão para o Carnaval em Santos
» [18/4] - GERAL: Homenagem ao Rei Momo Waldemar

[VEJA TODAS AS NOTÍCIAS DO MÊS]

NOSSOS PARCEIROS

LIGA-SP | GRIFE BY THAIS PARAGUASSU | GRITO DE CARNAVAL | CARNAVALESCO | GUERRERO ART


:: SASP - SOCIEDADE DOS AMANTES DO SAMBA PAULISTA ::
WWW.SASP.COM.BR | WWW.SANTOS.SASP.COM.BR
SASP - UMA ENTIDADE COM DIFERENCIAL !!

Copyright ©2000-2014 | Todos os Direitos Reservados